Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Coisas que me fazem comichão

• Educação • LifeStyle • BuJo • Brush Lettering • Gaming •

Coisas que me fazem comichão

• Educação • LifeStyle • BuJo • Brush Lettering • Gaming •

• Devia partilhar conteúdo na Twitch •

imagem meramente ilustrativa

Olá maltinha,

Começo a interiorizar que isto possa mesmo ser um diário público do que me vai na mente. Os meus posts não tem grande organização e planeamento, simplesmente sento-me em frente ao pc e o que realmente me estiver a fazer comichão naquele momento, é sobre o que escrevo.

Hoje, e já há uns dias, ando com uma comichão aguda, relacionada com a minha vida de gamer. Wait, vida de gamer, é to much para mim ...

Na verdade estou ligada às tecnologias há muitos anos, demasiados até, acho que desde que me lembro que tudo o que é aparelho eletrónico me fascina (vá, quando era mesmo pequenina, a barbie prevalecia). Comecei por jogar a snake no 3310 da minha mãe(quem nunca?!), depois via as minhas amigas e familiares a jogar no computador ou a trabalhar e achava fascinante, aquele ecrã cheio de imagens, letras, páginas, etc... Entretanto tive direito a ser feliz e recebi o meu primeio PC, tinha entrado para o 5º ano e agora os trabalhos já não eram só em cartolina, exigia toda uma pesquisa pela internet e a biblioteca da escola era .. digamos pobrezinha ... MAS claro que eu quando recebi o tal PC não me pus logo a fazer pesquisas culturais nem a investir no meu conhecimento sobre o mundo, o que é que eu fiz? - perguntam vocês. 

Instalei o The Sims, CLARO, e começou aí, toda uma viagem por expansões e versões, desde a era em que se perdiam filhos com fome por se fazer uma birra ao acordar até à era em que já se pode acompanhar o Sim na sua caminhada até ao lote comunitário. Sendo sincera prefiro o TheSims2, mas já não perco tantas horas no mesmo.

Entretanto, em partilha com uma amiga minha sobre a minha infelicidade sobre não poder partilhar a minha vida Sim com os outro, surgiu a minha entrada num Chat 3D em que a base é a mesma que os Sims, vestir/despir, contruir casas MAS dava para interagir com outros avatares, o que me permitiu ser uma pessoa bastante social durante 10 anos da minha excelente, e como se nota, bastante ocupada vida real.  Só que, temos de crescer não é verdade (?!) e aquele que era o meu maior vicio foi-se perdendo porque descobri a vida fora disso, afinal há cafés, pessoas reais e um mundo para além do ecrã, incríveeeeel! 

Mentira! Por muito que eu saísse e que agora já não pusesse os jogos à frente da minha vida social, ninguém me tirava aquelas horinhas de PC, entre chegar a casa do convívio e a hora de deitar.

E, eis que, começo a jogar League of Legends, ora, tudo o que vai ser dito a seguir, é grave e traumatizante, por isso, se quiseresm abandondar, sintam-se à vontade... não pago acompanhamento psicológico a ninguém.

Ora bem, jogo LOL há 3 anos porém a minha skill de jogo estagnou no momento em que comecei a jogar, como se diz na minha terra "não dou uma para a caixa", desde não perceber nada do jogo, feedar como gente grande e aziar o pessoal que joga comigo ... Acho que a vida só me corre bem porque nenhum deles está perto de mim, se não, acho que já tinha sofrido algum atentado ...

No entanto, também divirto o pessoal e apesar do meu mau, PÉSSIMO jeito para o jogo tenho muita gente que gosta de mim e joga comigo todos dias.

Tanto é que agora sugeriram meter-me na twitch e streammar enquanto jogo e ando com isto na cabeça há alguns dias ... O que me deixa de pé atrás são as pessoas que realmente sabem jogar, que levam todo esse mundo a sério e possam, digamos, interpretar mal a minha intenção na twitch pois uma vez que não sei jogar seria uma espécie de partilha de diversão e brincadeira... 

Estou mesmo indecisa ... E isto não me sai da cabeça!! 😤

• Ser Gorda, em Portugal •

9bd363d0f73d66fb6061d40bfa5c48f5.jpg

Olá maltinha, 

Hoje trago um assunto que me faz MUITA comichão, há MUITO tempo!

 Em todo o mundo, ser gorda é um desafio, desafio para viver em sociedade, porque sofremos de preconceito, usemos crop tops ou blusas até aos joelhos, calças largas ou leggins, bikinis ou fatos de banho, comemos saladas ou Mc Donalds, lutando por ser magras ou VIVENDO A NOSSA VIDA COMO BEM ENTENDERMOS SENDO GORDAS.

Pois bem, sou gorda, desde que me lembro, praticamente, já fiz dieta várias vezes (por conselho da minha família, que também tem a ideia de que ser magra é mais bonito do que ser gorda), já fui ao ginásio e já fui seguida por uma nutricionista, mas nada resultou, como bem se vê, e porquê? - perguntam vocês. Eu respondo, porque não tenho força de vontade, porque não tenho vergonha de ser gorda e não me importo minimamente com a opinião alheia.

No entanto, sei que nem toda a gente é como eu, com autoestima e amor próprio, superior a qualquer comentário mais infeliz que possa surgir e pensei que podia ajudar mostrando um pouco do à vontade que tenho com o meu corpo e em como podemos ser "como" as magras.

Por isso pesquisei inspirações portuguesas e eis o meu espanto quando não encontrei praticamente ninguém que fale deste assunto... será possível? Ou sou a única gorda em Portugal?! Será que está tão enraizado, na nossa cultura, o estereóripo de que ser gorda é sinónimo de ser doente, feia e de que é algo mau que ninguém ousa abordar o assunto pela positiva?!

Fiquei realmente assustada e chocada com esta questão e por cada vez pensar mais no nosso país como um país retrogado, cheio de preconceitos, estereóripos e faltas de oportunidade que me deu ainda mais força para abordar o assunto e insistir no facto de que todos os corpos têm de ser aceites tal como eles são, que somos lindas/os seja qual fora a nossa aparência, que somos livres de usar a roupa que queremos, ir aos sítios que queremos, que doenças qualquer pessoa pode ter e que é possível ser GORDA E FELIZ

Está por aí mais alguém (gorda e feliz) como eu? Digam-me que não estou sozinha, por favor! 🥰 

• Brush Lettering •

153025126_500345534286262_7517196980148599181_n.jp

Brush Lettering o meu cubo mágico da escrita!

Depois de fazer a formação sobre o BuJo, tive de investir nesta parte, achava que era fácil e era a única coisa que faltava para conseguir fazer um bullet lindo só que ...

O que eu não sabia era que teria de refor(matar) o cérebro e aprender a escrever novamente!

Antes da formação recebi material em casa, um caderno com linhas ajustadas ao brush lettering mas que mais me pareciam pautas de música ou então aqueles cadernos para ajustar o tamanho da letra, sabem? Aqueles que os nossos pais nos compravam quando andávamos no primeiro ciclo e não sabiamos escrever entre duas linhas ... poooooiiiis esses mesmos ... E lembram-se da vossa angústia e esforço, que fazia suar, para conseguir fazer caber as letras nessas linhas? POIS!!

Recebi também duas canetas (um aparte, comecei a tratar as canetas por tu, tipo Tombow, Fudenosuke, Bullet e Pentel do que canetas de feltro, para pintar, marcadores e afins), ora as duas que chegaram eram Tombow uma com ponta tipo pincel mas GRANDE e uma fudenosuke que só de olhar já tinha medo de mexer, a ponta era brush também. Este tipo de canetas serve para a caligrafia japonesa ... Ora pensando nos simbolos da mesma ... percebem o meu medo de mexer nas canetas? Iria arruinar a alma de quem as inventou...

Mas bem no dia da formação, lá fui eu ligar o zoom e assistir àquela arte.

A formadora (a mesma do BuJo) fazia todas as letras com a maior das facilidades, já o faz há 3 anos e sempre nos alertou que não seria de um dia para o outro mas quem a vê a fazer não dirá o mesmo, já está em modo automático ou algo do género e depois quem está a aprender ilude-se, tanto que eu não me fiquei por essa formação e tive de repetir pois não me entendi com as brush pens mesmo que repetisse no meu cérebro "grosso para baixo, fino para cima, grosso para baixo, fino para cima"...

Na segunda formação dei a oportunidade à Fudenosuke, com muito medo como se tivesse a pegar num bicho que não faz mal nenhum mas o nosso cérebro acha que nos vai engolir vivos ... E não é que ganhámos a maior das afinidades?! Tanto é que deixei a outra Tombow de lado (pior do que uma Fudenosuke só uma Tombow com uma ponta de preencher espaços grandes a escrever em espaços de 1,5cm)! 

Desde então treino todos os dias, já estraguei a ponta da fudenosuke e já pensei em comprar mais só que cada uma custa um figado e metade de um rim o que complica um bocado as coisas...

No fundo, um vicio que veio atrás do outro e quase me leva à falência mas pronto, antes pobre e feliz do que rica ...

 

(a última parte fui só eu a tenta convercer o meu cérebro a ser humilde, não liguem 😅)

 

E vocês já tentaram esta arte de lutar contra o que aprenderam a vida toda?!

 

• Bullet Journal •

153373762_3921351004618345_6810240872811990625_n.j

Hoje trouxe-vos a minha jornada com bullet journal.

Há muito tempo que procurava algo para me distrair que não fosse ligado ao ecrã. Experimentei pintar mandálas e ler livros mas nada chegava ao meu coração e se mantinha, a paciência também não é o meu forte, vou ser franca ...

Também há muito tempo que sou a mulher das listas, do que tenho para fazer, comprar, com quem tenho de falar e afins ... Ter uma agenda, um caderno, um bloco de notas, as app do telemóvel ... Nada resultava, tenho muita falta de organização e acaba sempre por me esquecer de alguma cisa, até mesmo de onde tinha posto a lista que fiz para não me esquecer de fazer tal tarefa, vejam bem ...

E eis que o verão passado, devido à pandemia, recusei-me a sair até para ir à praia e, como tal, tinha de arranjar estratégias para me distrair em casa. Eu e uma amiga minha encontrámos uma formação sobre BuJo e inscrevemo-nos, achando que até era fácil e que a formadora nos iria dar o segredo para construir uma caderno bonito/perfeito. A verdade é que quando comecei a perceber como o mesmo se fazia, o meu primeiro pensamento foi nem se quer tentar pois não tenho jeito para desenhar, não tenho canetas XPTO para pintar, fazer lettering e brushlettering, nem mesmo para fazer tabelas mensais eu me arriscava, porque até mesmo com régua eu faço linhas tortas. A ideia de fazer apenas composições de imagens com colagens também não me aliciava e por isso fui deixando a ideia de lado até novembro. 

Em janeiro de 2021 decidi arriscar, o verdadeiro objetivo do BuJo é a organiação e não a beleza e portanto convenci-me disso e tentei.

Comecei a procurar ideias, páginas, frases e a verdade é que só encontrava páginas lindas, com desenhos e pinturas encantadoras e os pensamentos sobre desistir começavam a surgir novamente mas fui mais forte e meti mãos à obra.

Assim que escrevi a minha identificação passei a mão por cima da escrita (um ato involuntário fruto do habito de limpar a folha) e eis que espalhei logo a tinta pois não tenho o hábito de escrever com caneta de gel e penso que como todos os iniciantes, borrar a escrita é da prache.

Entretanto continuei, fiz o meu future log, uma página de inspiração, uma tabela pensal, outra quinzenal, algumas wishlists de lojas, livros, viagens e afins e a verdade é que estou viciada e não consigo parar, mesmo com poucos recursos sinto que o meu BuJo está a ficar lindo e com muito da minha essência. O melhor ainda é que agora tenho tudo junto num só sitio, a agenda, as listas, o bloco de notas, o comment place, organizado cronologicamente e que não me deixa esquecer de nada!!

Estou orgulhosa de mim própria! 🥰

E por aí, há alguém como eu? 🥰

• Apresentação •

152744539_764077400890123_1110346592994867106_n.jp

Bem, parece que não aguentei e volto a escrever mais cedo do que esperava, afinal de contas não tenho mesmo mais nada para fazer e isto merece uma apresentação.

Organizando-me por ordem cronológica e alinhando com os temas do blog, acho que o primeiro tema insurge sobre o facto de ser jogadora de League of Legends desde 2018, no entanto quantidade não é qualidade e a minha skill deixa muito a desejar.

Depois em 2019, tornei-me Educadora de Infância, o maior sonho da minha vida porém apesar ter muito estrturada a prática que defendo e ponho em ação, em Portugal, ainda é dificil defender alguns dos ideais que tenho e por isso também a minha vinda para o blog.

Outro tema que irei abordar relaciona-se com autoestima, amor próprio, confiança, segurança, tentando consciencializar as pessoas de que "nascemos para ser reais e não perfeitos."

Agora, o hobbie mais recente, surgiu em agosto de 2020, e recai sobre Bullet Journal e Brush Lettering, algo que há muito vejo por aí mas não sabendo o que era ao certo e o treino que exige, por isso também considerar um tema pertinente para ajudar a quem como eu está a começar e no limbo entre desistir ou persistir.

That's it, who i am. 🥰

 

 

 

• The first •

Olá maltinha, 

Estou fechada em casa, então pensei que esta podia ser uma boa estratégia para interagir e conhecer novas opiniões acerca de temas que me causam alguma comichão.

Vou tentar partilhar sobre esses temas todos os dias e perceber se realmente até tenho alguma razão nas minhas perspetivas ou se afinal são só filmes de quem está confinada.

 

Conto convosco? 🥰